Das tábuas havaianas ao Super Surf

novembro 18, 2008

As primeiras pranchas, então chamadas de “tábuas havainas”, começaram a chegar no Brasil por turistas. Ao receber um periódico norte americano que ensinava como fazer uma prancha, Osmar Gonçalves (filho de um importante exportador de café ), junto com dois amigos, construíram a primeira prancha, que pesava 80 kg e tinha mais de 3 metros.

Já nos anos 50 a praias cariocas ficavam lotadas aos finais de semana. O Brasil já tinha seus primeiros surfistas: Arduino Colasanti, Paulo Preguiça, Luiz Bisão Vital , entre outros. Nesta época, usavam pranchas de madeira, conhecidas como “portas de Igreja”.

O esporte que a princípio causava estranheza começava a ganhar mais visibilidade. Em 64 chegaram as primeiras pranchas de fibra de vidro, importadas da Califórnia. Um ano depois, no dia 15 de junho de 1965, foi fundada a primeira entidade de surfe do país, a Federação Carioca, que organizou o primeiro campeonato, em outubro do mesmo ano. 

Nos anos 70, o tubo era considerado o ápice do surfe. Já nos anos 80, o esporte passou a atrair investidores e movimentar uma economia considerável.

Na década de 90, o peso das pranchas tornou-se ainda menor, graças ao uso de fibras ainda mais leves e resistentes. Isso fez com que a velocidade dos surfistas nas ondas aumentasse, assim como a criatividade das manobras. O surfe do século XXI tem dado mostras de criatividade e ousadia, com manobras incríveis, surfistas cada vez mais preparados e campeonatos bem organizados.

Os melhores surfistas do mundo

Anúncios

O skate como moda e estilo de vida

outubro 31, 2008
Pode-se definir o estilo skatista de acordo com o tamanho, cores e formas das vestimentas . No skate, o principal é sentir-se leve e confortável, o que acaba criando um caráter espontâneo no modo de se vestir, porém sempre retratando o lado street, excêntrico e chamativo com que essa tribo se impõe.
É bom lembrar que os skatistas são divididos em três tribos: a do hip-hop, a dos grafiteiros e a dos básicos, o que torna o estilo de cada um bem mais fácil de ser identificado, ou seja, o grafite, gosta de customizar roupas e prefere um tamanho mais justo, o hip-hop, adere de forma nítida ao visual tamanho GG, enquanto que o básico, curte o  trivial na hora de se vestir.
Para os homens, a presença de bonés, bermudões e calças largas é indispensável, a cueca à mostra e cabelos levemente despenteados também é uma carcterística marcante nos “skateboards”, enquanto que as mulheres skatistas, acabam unindo a sensibilidade feminina com a paixão pelo skate, elas usam muita bermuda, blusas de malha, baby look e claro, como os meninos a “cuequinha” aparecendo.
Atualmente esta tribo, e pessoas que se vestem desta forma, mesmo sem ser skatistas, vem sofrendo um certo tipo de preconceito devido ao figurino, o que é um erro absurdo. Afinal será que a roupa diz que a pessoa é realmente skatista? O estilo skatista é público e aberto a todos. Logo qualquer pessoa que queira andar no estilo skatista, basta ir em uma loja e comprar o figurino desejado. Será que andar de terno quer dizer que a pessoa é honesta? Será que andar sujo ou com roupas largas é sinônimo de uma pessoa sem caráter ou com uma personalidade ruim? É necessário a relativização dos nossos conceitos.
Por não conhecer um grupo, pela incapacidade de observar de forma clara, e por partir de uma visão do senso comum preconceituosa, estigmatizamos certos grupos e criamos estereótipos. Por isso, mantenha sempre a mente aberta de preconceitos e fique longe de opiniões sem nenhuma base concreta, até porque o modo de se vestir é apenas uma forma de cada um de nós permitir que o estilo próprio se sociabilize com o mundo exterior.

Surf do asfalto

outubro 27, 2008

 

O skate foi criado por surfistas no início dos anos 60, na Califórnia, eles tiveram a idéia de criar um instrumento semelhante às pranchas de surf para nos dias em que o mar estivesse sem ondas pudessem assim “surfar no asfalto”. Um esporte que se utiliza muito do equilíbrio e logo conquistou muitos adeptos e virou febre entre jovens americanos. Os primeiros skates eram fabricados com rodas de seus patins, que apenas colocavam em “shapes”.
Em  1965, começava o comércio de skate, e  logo cinco anos após, o esporte conheceu seu auge com grandes competições. Porém logo com a queda do skate e das grandes pistas destinadas ao esporte, surgiu o chamado street skate, que nada mais é do que skate de rua, e por fim surgia outra forma conhecida como o, skate vertical, que se dá sobre piscinas vazias.
 O grande nome do esporte, foi Tony  Hawk que
revolucionou o skate com suas manobras aéreas e flips, sem dúvida o grande ícone do skate.
 Hoje em dia os brasileiros junto com americanos fazem bonito no esporte, e conquistam quase sempre os primeiros lugares no ranking .

O Brasil conta com dois grandes nomes, Sandro “Mineirinho” Dias, conhecido por sua famosa manobra 900º, e Bob Burnquist, o grande ídolo dos brasileiros no final da década de 90.

 

Tony Hawk

 

Bob Burnquist

O Timbre do campo

outubro 9, 2008

Em 1928, Cornélio Pires introduz o estilo caipira na música brasileira com uma combinação de timbres desses instrumentos artesanais do Brasil-Colonia:

Viola

    

 

A viola tem características muito semelhantes ao violão. Tanto no formato quanto na disposição das cordas e acústica, porém é um pouco menor.

 

 

Acordeão

 

 

O acordeão é um instrumento musical aerófono (som produzido pela vibração do ar) composto por um fole, um diapasão(instrumento de afinaçnao) e duas caixas harmônicas de madeira.

 

 

 

Gaita

 

     Em Berlim, em 1821, que Friedrich Bushman, aos 16 anos inventou a AURA, para estudar a influência da corrente de ar no som. Sua invenção era essencialmente um conjunto de quinze diapasões, todas notas sopradas, conectadas a uma armação de metal.

Alguns anos depois, um produtor de instrumentos em Bohemia, melhorou o design da desajeitada Aura. Ele fez uma estrutura de 20 notas, dentro de dez orificios, ou seja, 10 notas sopradas e 10 notas aspiradas, estas mudanças somado a estrutura do instrumento foi verdadeiramente a primeira gaita 

 

Hoje em dia, o sertanejo brasileiro se assemelha mais com o som do country americano, que tem um som mais agitado com letras mais românticas e menos saudosismo (como era nos primórdios). 

 

Antigamente

 

Atualmente

O estilo sertanejo inserido no mundo da moda

setembro 26, 2008

Atualmente o estilo sertanejo apresentado pela mídia investe em roupas de couro, chapelão de cowboy, cinturão, fivelão e botas, porém apesar de semelhantes isso é cowboy americano.
O sertanejo, de origem brasileira, iniciou-se com o homem que trabalha no campo sob o sol, que capina na roça, que lida com o gado, enfim, que diversas vezes por não ter uma boa condição financeira, investe em calças jeans, botinas e chapéu de palha, aderindo a um estilo simples.

Com o passar dos anos, o estilo sertanejo foi ganhando espaço no campo, nas grandes cidades e até nas passarelas de moda. Pode-se definir o figurino, tendo como base as cores caramelo e cáqui, ou seja, cores típicas do estilo sertanejo, o uso do chapéu de boiadeiro, camisa xadrez, cinto com fivela e bota de caubói, resultando em um estilo discreto de caráter unisex, em que o sexo feminino e masculino vestem-se praticamente da mesma forma, o que resulta em uma moda igualitarista e sem preconceitos sociais ou racias.

Em 2008, o estilo country foi a tendência do inverno e ainda perdurará no verão nas passarelas de moda e nas ruas do Brasil e do mundo, destacando o uso de botas, franjas e couro. Esta moda está tão em alta que é adepta até entre as celebridades. A diva Madonna, na capa do seu álbum “Music” (2000), surgiu no estilo cowgirl chique e fashion, com um chapéu e uma camisa de setim azul, e no clipe de uma das canções do disco, a cantora usa xadrez, botas de cowboy, jeans surrado e até monta num touro mecânico, resultando na evidência desse estilo na mídia novamente.

As pessoas que aderem a esse estilo sertanejo, estão completamente dentro da moda, mesmo que sem querer, esta tribo vem crescendo progressivamente, devido ao caráter alegre, divertido e extremamente estiloso com que se apresenta para todos os tipos de público que estiverem interessados em investir nesse estilo caipira, porém de visivilidade internacional. Como dizia Euclides da Cunha: “O sertanejo é, antes de tudo, um forte”.

 

Música Sertaneja

setembro 24, 2008

Essa semana o triboSP mostrará um pouco mais sobre a música e a cultura sertaneja, suas duplas, seus instrumentos e roupas características.

Conhecida como “Caipira” ou “sertaneja” a música composta e executada nas zonas rurais do país, como a antiga Moda de viola utiliza instrumentos artesanais típicos do Brasil como viola, acordeão e gaita. Cornélio Pires, o primeiro grande promotor deste estilo musical, foi quem conseguiu, em 1928, que este estilo entrasse para a discografia brasileira, sendo considerado o precursor dos sertanejos, popularizando a música caipira no Brasil.

A música rural que mantém seus temas, feita por Cornélio Pires, João Pacífico, Tonico & Tinoco e Pena Branca & Xavantinho, para se diferenciar da música sertaneja, passou a se denominar “música de raiz“, querendo dizer que está ligada verdadeiramente às suas raízes rurais, a moda de viola, a terra e ao sertão.

No entanto, a partir da década de 1980, tem início uma exploração comercial do estilo sertanejo, em muitos casos, à uma releitura de sucessos internacionais e mesmo da Jovem Guarda. Esses artistas passam a ser chamados de “duplas sertanejas”. Começando com Chitãozinho & Xororó, Leandro & Leonardo e Zezé Di Camargo & Luciano, várias duplas seguem o mesmo caminho, fazendo com que o estilo alcançe o seu auge no final da década de 1980 e início de 1990. Hoje em dia, o termo música sertaneja vem, aos poucos, sendo substituído pelo termo música country devido à influência norte-americana.

No começo da década de 2000, o estilo musical volta a viver tempos melhores com o sucesso de duplas como Bruno & Marrone e Edson & Hudson.

O estilo sertanejo, ao contrário da música caipira, tem pouca temática rural para poder agradar a habitantes das grandes cidades. A temática da música sertaneja, é, em geral, o amor não correspondido e a traição.

Almir Sater, Gian & Giovanni, Daniel, César Menotti e Fabiano, Inezita Barroso, Milionário & José Rico, Rick & Renner e Rionegro & Solimões são alguns dos mais conhecidos nomes desse estilo que diz muito sobre o nosso Brasil.

 

 

Inezita Barrozo – Marvada Pinga

 

Leonardo, Chitaozinho & Xororó, Zezé di Camargo & Luciano – Canção da amizade

 

Grupo “Tudo de Bom” no Valentin

setembro 22, 2008

E ai galera!

Sexta-feira os integrantes do triboSP foram até o bar Valentin (www.valentin.com.br), na Rua Euclides Pacheco, 347 no Tatuapé para mostrar para vocês um pouco mais sobre pagode

Quando chegamos, ficamos assistindo o grupo “Tudo de Bom” tocar e depois tivemos o prazer de poder entrevistá-los no camarim!!!

Além de mandar muito bem tocando, todos os integrantes foram muito simpáticos com a gente e nos receberam muito bem, respondendo a todas as nossas perguntas e contando um pouquinho sobre a história deles.

Queremos agradecer o carinho deles e quem quiser conhecer um pouco mais sobre a banda e a agenda de shows é só entrar no site:www.grupotudodebom.com!!! Vale a pena!!!

Entrevista com o Grupo Tudo de Bom

Grupo Tudo de Bom

Entrevista com fã do Grupo Tudo de Bom

O Timbre

setembro 19, 2008

Se vc tiver afim de fazer aquele pagodão no seu quintal, alguns instrumentos não podem faltar.

O PANDEIRO

 

 

 

 

Ao contrário do que todos pensam, o pandeiro não é brasileiro e sim árabe. Ficou popular na Itália e na Espanha e chegou ao Brasil quando o choro começou a ser tocado (final do século passado). O meio do pandeiro nos remete aos sons graves dos surdos e as platinelas de metais em volta do arco, dão aquela impressão de som brilhante.

O CAVAQUINHO

Originário de Portugal, o cavaquinho é um cordofone com pequenas dimensões e é classificado como da família das guitarras européias. É mais presente no choro (violão, flauta e cavaquinho), porém muitos pagodeiros adotaram o instrumento nos seus shows.

 

O TAN-TAN

 

O tan-tan é um instrumento de base, que guia os outros instrumentos com o seu som grave. Com esses três instrumentos você ja  pode fazer aquele pagodinho no seu churras. 

 

 

O CHOCALHO

Esse instrumento serve para você dar para aquele amigo, que não sabe tocar mer… nenhuma e só fica bebendo e enchendo o saco para entrar na roda de pagode para impressionar as garotas.

 

 

A moda sambista e o estilo pagodeiro

setembro 17, 2008

 

No samba e no pagode, não existe idade, são adolescentes, adultos, mulheres, terceira idade, enfim todos os tipos de etnias e idades que encontram-se em prol de um mesmo ritmo, e de um gingado único.

O estilo das vestimentas masculinas tem como base o uso de roupas e tênis de marca, camisa social e jeans, além de correntes de prata e ouro, sendo bom lembrar que alguns sambistas ainda aderem ao uso de ternos de cor geralmente clara e sapatos, revelando um estilo de gafieira.Na cabeça geralmente o uso de bonés e chapéus característicos do samba são frequentes.

Enquanto isso as mulheres vestem shorts, mini-saias, vestidos, decotes, ou seja, roupas extremamente sensuais, adaptadas ao clima tropical brasileiro.

A moda dessa tribo de sambistas e pagodeiros revela antes de um estereótipo, o ritmo de uma música energizada que contagia à todas as pessoas e gostos que entram em contato com esse estilo musical.

Pagode

setembro 16, 2008

Nesta semana mostraremos tudo que cerca o pagode, cada dia com uma boa novidade e curiosidade sobre suas músicas, bandas, instrumentos, figurinos, enfim, tudo o que você precisa para se tornar um pagodeiro oficial!!!

 

O ritmo Samba parece ser totalmente de origem brasileira, mas ai que vocês se enganam, pois é originário da angola com nome SEMBA, que significa UMBIGADA, devido a forma que era dançado Por volta de década de 70 surgi um “samba diferenciado”, na verdade o pagode com algumas inovações. Grupos como, Fundo de Quintal, Jorge Aragão, Beth Carvalho, Zeca Pagodinho, Martinho da Vila, Almir Guineto e Alcione surgiram nos anos 80. Na década de 90 o pagode se torna muito popular, ganhando novos grupos como Revelação, Raça Negra, Katinguelê, Negritude Junior, Exaltasamba, Molejo e KaraMetade.

Para alguns, o pagode apresenta nítidas diferenciações do samba que era feito até então. Têm andamento mais ligeiro, agressivo, além de introduzir o repique de mão criado pelo músico Ubirany, do grupo Fundo de Quintal, o tantã (criado pelo músico e compositor Sereno, do grupo Fundo de Quintal) e o banjo com braço de cavaquinho (criado por Almir Guineto). É um ritmo de mais festeiro do que o samba, sempre regado a muita comida e bebida.

As letras do pagode são bastante descontraídas, engraçadas, falam muito de amor, o que atraiu muita divulgação ao estilo, mas normalmente não apresentam grande expressão, os pagodeiros em questão se preocupam mais com o ritmo, a aliteração do que com conteúdo nas letras.

O triboSP foi até um grupo de pagode e irá trazer pra vocês entrevistas, vídeos e um making off. Aguardem…

 

 

Fundo de Quintal – O Show tem que continuar

 

Katinguelê – Inaraí